por

Instalar Apache+PHP+MySQL no Windows 7/8/Vista/XP/2003

21 de agosto de 2013 em Dicas Windows

intro

 

 

Apache é o servidor mais popular da web, foi criado em Abril de 1996 com o intuito de ser um servidor HTTP gratuito para sistemas UNIX e Windows. O objetivo do projeto é de fornecer um servidor seguro, eficiente e extensível que forneça serviços de HTTP em sincronia com os padrões HTTP.

 

O intuito desse post é de tonar você capacitado a instalar o Apache, o PHP, o MySQL, e ophpMyAdmin no Windows 7, Vista ou XP sem a utilização desses sistemas prontos, como oWampServerXAMPPPHP Triad. A vantagem de instalar tudo separado é que você não fica sujeito as configurações que os programas já impõem, ou muitas vezes podem até não funcionar corretamente como deveriam.

Índice

  • Passo 1: Instalação e configuração do Apache
  • Passo 2: Instalação e configuração do PHP
  • Passo 3: Instalação e configuração do MySQL
  • Passo 4: Instalação e configuração do PhpMyAdmin

Pré-requisitos

  • Apache HTTP Server (2.2.14) – Download Apache
  • PHP 5.3.1 – Download PHP 5
  • MySQL 5.1.43 Download MySQL 5
  • phpMyAdmin 3.2.5 Download phpMyAdmin

Passo 1: Instalação do Apache 2.2

Eu resolvi instalar o Apache em uma pasta chamada Webserver, mas você pode instalá-lo onde quiser, se quiser seguir a minha lógica basta criar uma pasta chamada Webserver na raiz do seu HD, ficando da seguinte forma: C:\Webserver. Após incie o instalador do Apache, a primeira tela de instalação é semelhante a essa:

 

1

 

Basta seguir os passos, e você irá chegar a seguinte tela de configuração. Aqui é onde iremos efetuar algumas configurações do servidor, basta preencher o primeiro campo com o valor localdomain, o segundo campo com localhost e o terceiro um e-mail que desejar. É recomendável que você deixe o Apache rodando na porta 80, não que isso seja obrigatório, você pode alterar caso queira. Basta após clicar em Next:

 

4

Chegamos no passo onde iremos escolher o tipo de instalação, eu selecionei Custom pois quero personalizar a pasta de instalação do Apache:

5

 

Por padrão, o Apache será instalado na pasta Arquivos de Programas > Apache Software Foundation > Apache 2.2, mas vou instalá-lo dentro da minha pasta Webserver, ficando da seguinte forma:

6_2

 

Basta agora clicar em Install e a instalação será iniciada:

7

 

Após o término da instalação, você verá que apareceu na sua System Tray (aqueles ícones que ficam ao lado do relógio do Windows) um novo ícone, o Apache Monitor:

9

Através dele temos acesso ao status do Apache, onde podemos obter informações se ele está rodando, podemos também parar o sevidor, reiniciá-lo e iniciá-lo. Basta clicar com o botão direito no ícone e escolher Open Apache Monitor:

10

 

Já que o Apache está rodando corretamente, vamos testá-lo na prática, abra o seu browser e digite o seguinte na barra de endereços: http://localhost/. Você verá uma mensagem semelhante a abaixo:

11

 

As versões mais antigas do Apache exibiam outras informações, mas a 2.2.XX mostra só isso. As páginas ficam por padrão dentro da pasta “htdocs”, no diretório onde o Apache foi instalado. No meu caso ela fica na seguinte pasta: C:\Webserver\Apache2.2\htdocs. Caso você queira agora pode substituir o arquivo “index.html” pelo arquivo do seu site e também pode adicionar alí pastas e subpastas representando outros diretórios de seu site. Por exemplo, se existir uma pasta chamada wordpress dentro do diretório htdocs:C:\Webserver\Apache2.2\htdocs\wordpress, ela deve ser acessada dessa forma:http://localhost/wordpress/.

Se você ao acessar localhost em seu browser e ele ficar buscando o servidor, abrir uma página de busca, ou até mesmo retornar Servidor não encontrado, atente-se se o Apache está rodando corretamente e o mesmo foi iniciado. Se você efetuou esses passos e mesmo assim ele não está funcionando, instale-o novamente seguindo os passos acima que o problema pode ser resolvido.

Até agora nosso servidor lê somente HTML puro. Porém, é diferente a forma de acesso do endereço “http://localhost/index.html” de “C:\Webserver\Apache2.2\htdocs\index.html”. No primeiro caso, o navegador solicita a página ao servidor “localhost” (que é o seu computador), recebe a página do servidor, armazena a mesma no cache, e só depois então a exibe. Ele trata como se fosse um site que estivesse realmente hospedado em algum servidor da Internet. Como o servidor do site está no seu próprio PC, trata-se então de umaIntranet. No segundo caso, você está acessando o arquivo diretamente do seu HD. O navegador pode até armazenar algum dado no cache, mas não há nenhuma comunicação com qualquer servidor. Ele lê o arquivo como qualquer programa leria qualquer arquivo.

Configurações extras para o Apache

Após a instalação do Apache, vamos efetuar algumas configurações adicionais simples, para isso, vamos alterar o arquivo httpd.conf que está localizado dentro da pasta conf no diretório de instalação do Apache. Cuidado ao editar esse arquivo, pois qualquer erro e seu servidor pode parar de funcionar. Para habilitar o uso de URL’s amigáveis no servidor, você deve habilitar o módulo de mod_rewrite, bastando localizar a linha:

1.#LoadModule rewrite_module modules/mod_rewrite.so

E substituir a mesma por:

1.LoadModule rewrite_module modules/mod_rewrite.so

Vamos definir agora também quais arquivos o Apache irá servir quando um diretório for requisitado. Procure a seguinte linha:

1.DirectoryIndex index.html

E substituir a mesma por:

1.DirectoryIndex index.html index.php

Passo 2: Instalação e Configuração do PHP 5.3.1

A partir de agora vamos proporcionar mais interatividade ao nosso servidor com a instalação do PHP, a versão que vamos utilizar aqui é a 5.3.1. O PHP é um módulo para o Apache. Ao processar uma página PHP, o Apache envia a página ao módulo PHP, que a processa e devolve o resultado ao Apache, que por sua vez, envia ao browser que fez a solicitação. Para isso, a instalação do PHP consiste basicamente em colocar os arquivos numa pasta, e configurar o Apache para que “enxergue” os módulos PHP e chame-os sempre que encontrar um arquivo .php.

As telas de instalação poderão ser diferentes em outras versões, mas as idéias serão basicamente as mesmas:

12,

Basta agora você ir seguindo os passos até chegar a tela onde você escolherá a pasta de instalação do PHP. Como já fiz anteriormente com o Apache, também vou personalizar a pasta do instalação do PHP, que será a seguinte: C:\Webserver\PHP5:

15

 

Nesse passo, ele irá pedir o tipo de servidor você está utilizando, basta escolher o Apache 2.2.XX:

16

 

Nesse próximo passo, ele irá solicitar o local dos arquivos de configuração do Apache. Localize a pasta “conf”, dentro da pasta onde foi instalado o Apache, senão a configuração não será automatizada e você terá que efetuar a mesma manualmente:

17

 

O próximo passo é onde você escolhe quais extensões quer instalar junto com o PHP, escolha as que julgar necessário ou simplesmente deixe como está:

18_1

 

Ao final do processo, caso esteja tudo OK, basta agora clicar no botão install:

19

Se tudo ocorreu bem até aí, nenhuma mensagem de erro será exibida. Basta agora você reiniciar o Apache e as páginas .php serão processadas e entregues corretamente ao browser. Ainda não foi configurado um servidor de banco de dados, então apenas os recursos diretos do PHP funcionarão (e os dos outros módulos pré-instalados do Apache). Um ótimo meio de testar o PHP e ver diversas informações do servidor é criar uma página PHP, com o seguinte conteúdo:

23

 

Salve a mesma dentro da pasta htdocs com o nome info.php e então acesse a página pela seguinte URL: http://localhost/info.php.

Você terá acesso agora a uma página com todas as informações do PHP e os componentes instalados:

24

 

Configuração do PHP

A configuração do PHP envolve a edição do arquivo php.ini, na pasta onde o PHP for instalado, portanto, mãos a obra. Uma configuração útil é a ativar o uso de delimitadores < ? … ?>, muito usados por serem mais simples. No arquivo php.ini, localize a linha que começa com short_open_tag e troque seu valor Off para On (Fique atento as letras maiúsculas e minúsculas). Ela deve ficar dessa forma:

1.short_open_tag = On

Caso você deixe Off, scripts PHP que iniciem com <? não serão identificados, somente os scripts que inciem com <?php funcionarão.

Permitir estilo ASP
1.asp_tags = On

Ative este item apenas se você gostar de usar as tags no estilo ASP, como em <% … %>, caso contrário, pode deixar desativado.

Habilitar a exibição de erros
1.display_errors = On

Por questões de segurança esse item vem com valor Off. Sua função é a de imprimir erros de sintaxe ou funcionamento do PHP na página. Por questões de segurança, é bom deixá-lo em Off, pois entre as mensagens de erros muitas vezes vêm nomes de arquivos, caminhos locais, e até a senha do banco de dados, se tiver algum erro de sintaxe justamente na declaração da mesma. Mas em contrapartida, para aprender PHP, é recomedável deixá-lo em On.

Passo 3: Instalação e Configuração do MySQL 5.1

O MySQL é um famoso gerenciador de Banco de Dados. Nesse tutorial iremos utilizar a versão 5.1.43 essential. Existe um outro pacote maior que vem com algumas coisas a mais, como documentação, mas para nosso tutorial resolvi optar pela versão mais leve.

A interface de instalação é semelhante a do Apache e a do PHP, não existe muito segredo, basta ir seguindo os passos que serão mostrados abaixo. Ao executar o instalador, você terá acesso a uma tela semelhante a essa:

25

 

O próximo passo é onde iremos selecionar o tipo de instalação: Típica, Completa ou Customizada. Eu optei pela instalação customizada pois quero personalizar a pasta de instalação do MySQL:

26

 

Localização da pasta de instalação do MySQL:

27

 

Estando tudo Ok, basta clicar em Install:

28

 

Após o final da instalação, vamos efetuar as configurações do MySQL, basta seguir os passos que serão mostrados aqui:

29

 

A seguir escolha configuração detalhada:

31

 

Escolha Developer Machine:

32

 

Escolha Multifunctional Database:

33

 

No passo ao que se refere a instalação do InnoDB, deixe como o caminho Installation Patch:

34

 

Deixe selecionado Decision Support (DSS)/OLAP:

35

 

Nesse passo, não se esqueça de deixar selecionado a caixa “Adicionar excessão ao Firewall”:

36

 

Selecione Best Support for Multilingualism:

37

 

A próxima opção é de incluir o caminho do MySQL na variável de ambiente “Path” do Windows. Deixe-a selecionada pois assim você pode chamar os executáveis do MySQL a partir de qualquer prompt, em qualquer pasta:

38

 

No próximo passo deve-se definir a senha de root, ele é o administrador do MySQL. Caso você já programe em PHP já sabe que para acessar um banco de dados é necessário fornecer um nome de usuário e senha válidos para aquele banco. Você poderá usar o “root” e a senha definida aqui, ou outra conta. Mas tenha em mente que para criar outras contas você precisará do root, e para alterar as configurações ou criar novos bancos de dados, também. Por isso é importante ter essa senha guardada em um local seguro:

39

 

No próximo passo basta você clicar em execute para que o MySQL dê início ao processo de configuração:

40

 

Caso tudo tenha corrido OK, você verá uma tela como essa, caso tenha algum problema, efetue as configurações novamente:

41

 

Caso queira checar se o serviço do MySQL está rodando corretamente no Windows, basta fazer o seguinte. Abra um prompt de comando, e digite: mysql -u root – p, ele irá pedir a senha de root que você havia configurado anteriormente, basta então digitar a mesma:

42

 

Após digite status e pronto, você terá informações sobre o MySQL:

43

 

Problemas de conexão dos scripts PHP com o MySQL

Alguns usuários de Windows 7, inclusive eu, andaram passando por problemas de conexão dos scripts PHP com o banco de dados. Se por um acaso você verificar que o serviço de MySQL está rodando corretamente, seu script PHP também está OK e mesmo assim ele não consegue conectar no banco de dados, aqui vai a solução. Verifique o arquivo hosts do Windows, ele fica localizado em: C:\Windows\System32\drivers\etc, abra o aquivo hosts e descomente a linha que contém o seguinte conteúdo:

1.127.0.0.1 localhost

Bastando somente você remover o sinal de #. Observe na screenshot abaixo como ele deve ficar:

44

 

Esse problema ocorre devido ao conector nativo do PHP. A partir da versão php5.3 é utilizado o cliente mysql nativo mysqlnd, não se usa mais o libmysql.dll. Esse novo conector não reconhece named pipe, por isso, deve-se especificar no arquivo hosts do Windows.

Passo 4: Instalação do PhpMyAdmin

Após efetuar o download do PhpMyAdmin, descompacte o mesmo e renomeie a pasta paraphpmyadmin. Após, coloque a pasta dentro do diretório htdocs da pasta de instalação do Apache. Para acessar agora o PhpMyAdmin basta você digitar o seguinte: http://localhost/phpmyadmin/, entre com o usuário root e senha que você configurou para o mesmo na instalação do MySQL e pronto, você já tem acesso ao PhpMyAdmin.

Se você quiser pular esse passo de toda vez ao acessar o PhpMyAdmin ter de se logar, basta fazer o seguinte. Na pasta do mesmo abra o arquivo config.sample.inc.php e o renomeie para config.inc.php. Agora basta substituir a linha $cfg[‘Servers’][$i][‘auth_type’] = ‘cookie’; por:

1.$cfg['Servers'][$i]['user'] = 'root';
2.$cfg['Servers'][$i]['password'] = ' '// Digite aqui a senha de root
3.$cfg['Servers'][$i]['auth_type'] = 'config';

Pronto, agora toda vez ao acessar o PhpMyAdmin ele irá pular a tela de autenticação pois o usuário e senha já estão cadastrados no arquivo de configuração.

Fonte: http://www.pinceladasdaweb.com.br/blog/

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas